O QUE O VALE PODE NOS ENSINAR?

Fonte da imagem: http://www.tecnologiaefloresta.com.br

BREGANTIN, Paulo

Disponível em: http://horoscopovirtual.uol.com.br/artigos/expressao-passar-pelo-valeAcesso em: 10/10/2016. 

Hoje, fui levado a pensar sobre uma situação interessante: O que o vale pode nos ensinar?

O Vale quando olhamos no dicionário tem um significado muito peculiar, pois é descrito como uma “depressão” alongada entre duas montanhas, ou um “acidente” geográfico cujo o tamanho pode variar entre alguns quilômetros quadrados ou centenas de milhares de quilômetros quadrados ou um alongamento cavado por um rio ou geleira. 

O início de cada descrição da palavra “vale” me chamou muito atenção, pois elas começam com: depressão, alongamento e acidente, ou seja, é um problema que acometeu uma parte geográfica de um terreno que deveria ser normal. Porém, esse mesmo vale tem outras características que me interessou, pois, o vale está sempre entre montanhas, rios, geleiras, plantas e árvores. 

Ao mesmo tempo que o vale é um local cheio de problema é também onde existe o melhor das vegetações. Podemos então de forma analógica fazer um estudo sobre a vida levando em consideração o vale, ou seja, estamos muitas vezes vivendo um processo de depressão onde não entendemos muito bem o que está acontecendo e porque está acontecendo. Esse período pode ser “alongado”, pois em tempo de depressão o tempo parece não andar e cada minuto é, sem dúvida, um momento de dor e falta de entendimento de si mesmo e dos que estão em volta, parece mesmo que sofremos um “acidente” de percurso, pois não estávamos preparados para enfrentar a vivência em um vale, até porque fomos criados para viver em picos e montanhas (em cima e sobre todas as coisas), mas não existe montanhas e picos sem os vales. 

Da mesma forma onde existe a depressão, alongamento e acidente é no vale onde encontramos as melhores possibilidades, pois é do vale que podemos alcançar as montanhas, nos refrigerar nos rios que estão cortando o vale, comer dos frutos das plantas e árvores que estão plantadas no vale, conhecer o frio (que significa limite), sim, no frio entendemos nossos limites.

Estar no vale então significa que as verdadeiras possibilidades estão acontecendo em nossa volta. Viver um tempo no vale significa aprendizado, autoconhecimento e auto entendimento, é na realidade a forma que a vida nos oferece para sermos normais e frutíferos. 

Quando perceber que está passando pelo vale de agora em diante acredite é o melhor lugar para se estar.

Creio que para ver as montanhas é fundamental conhecer os vales.

SAIBA OUVIR

Fonte da imagem: http://www.cursoacesso.com.br

“Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” (Tiago 1.19).

“O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria.” (Eclesiastes 9.10).

“Vocês nem sabem o que acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa.” (Tiago 4.14).

“Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seu coração.” (Colossenses 3.16).

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor, que vocês estão servindo.” (Colossenses 3.23-24).

“Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!” (Efésios 3.20-21).

Somos tão bons para falar de nós, sobre o que pensamos, nossas opiniões, nossos desejos, nossas necessidades, nossas ideias e visões.

Mas será que sabemos ouvir o que o outro tem a nos dizer?

Ou será que tão fixos em nós mesmos não conseguimos enxergar e ouvir o que o outro diz?!

Podemos dizer coisas importantes sem pronunciar uma palavra se quer. Pode ser através de um olhar, de um gesto ou de qualquer expressão corporal.

As pessoas se expressam o tempo todo diante de estímulos, e muitas vezes não enxergamos o que elas dizem de tão fixados em nós.

Precisamos buscar sabedoria e humildade para ouvir quem está ao nosso lado.

Deus abençoe!

CUIDADO COM O DINHEIRO MAL ADQUIRIDO

Fonte da imagem: outrarenda.com

“Os tesouros da impiedade de nada aproveitam, mas a justiça livra da morte.” (Provérbios 10.3).

Estamos vivendo uma crise sem precedentes em nossa sociedade. A crise que mais nos assola é a de integridade.

Os valores morais estão sendo tripudiados.

A lei do levar vantagem em tudo parece governar nossa gente.

Políticos inescrupulosos vendem a alma da nação para serem eleitos.

Esquemas de corrupção escondem quadrilhas de colarinho branco, que trafegam pelos corredores do poder amealhando os tesouros da impiedade. 

As riquezas que deveriam socorrer os aflitos e levantar as colunas de uma sociedade justa são desviadas para contas bancárias de grã-finos que fazem as leis, delas escarnecem e no final escapam do tribunal humano.

Aqueles, porém, que acumulam os tesouros da impiedade, vivem no fausto e no luxo e ajuntam para si riquezas mal adquiridas verão que seus bens serão combustíveis para a própria destruição.

A riqueza injusta produz morte, mas a justiça livra da morte.

É melhor ser um pobre íntegro do que um rico desonesto.

É melhor comer um prato de hortaliças onde há paz do que viver na cada dos banquetes com a alma atribulada.

É melhor ser um pobre rico do que um rico pobre.

LOPES, Hernandes Dias. Gotas de sabedoria para a alma. Editora Hagnos. São Paulo, 2011. Página 10.