RELACIONAMENTOS

Namoro, noivado e casamento: sonho de consumo da maioria das pessoas seja jovem, adulta ou de idade mais avançada.

O desespero tem ganhado espaço na mente e no coração da maioria das pessoas, principalmente quando se trata de relacionamentos. Pois, além da falta de homens, há ainda a falta de homens e mulheres que sejam verdadeiramente cristãos.
O ser humano é um ser essencialmente relacional, feito de relacionamentos, essa é uma das semelhanças que temos com o nosso criador. O motivo de tanto desespero nesta área é: a defasagem nos relacionamentos amorosos – do tipo eros- e a defasagem nos relacionamentos amorosos do tipo fraternos-.
Além do problema ecológico (mais mulheres que homens) há para nós cristãos aquela pergunta básica: é de Deus ou não? Ano passado vi um vídeo americano, de um líder de jovens, que dizia que não existe uma única pessoa separada/exata para cada um, uma única capaz de te fazer feliz -o(a) escolhido(a)-, nem que Deus faz essa escolha por você. Ele diz que os jovens não deveriam depositar todas suas expectativas em uma só pessoa, pois esta podia ou não corresponder aos níveis de exigência posto sobre ela e que essa responsabilidade de escolha é nossa. Nem preciso dizer que isso gerou aquela polêmica entre os crentes no meu face. (Pra quem quiser ver o video: Jefferson Bethke)

Mas, é comum, no meio dos cristãos, pessoas decidirem namorar e se casar, porque Deus quis/disse/mandou e passarem a viver, a partir daí, uma vida infeliz, sem de fato amar o outro e ser amada. O problema é que não é só uma vida destruída, perdida, e sim duas ou mais, famílias inteiras!

Concordo com esse líder. Não há somente uma pessoa na face da terra para cada um, pois se tivesse nós não nos apaixonaríamos tantas vezes, nem seriamos capazes de amar de novo após perder um grande amor!

Creio que Deus nos capacita a fazer a escolha certa se temos uma vida de oração, se estamos convictos do que Deus tem para nós, se estamos cercados de bons conselheiros, e se estamos tomando a decisão baseada naquilo que Deus despertou (chamado, ministério, sonhos) em nós. Deus não vai agir contra o projeto dele na sua vida, nem agir contra a sua palavra e promessa! Muito pelo contrario, Ele sempre vai agir para garantir que o projeto dele se cumpra na sua vida, e é isso o que a Palavra nos testifica desde Gênesis a Apocalipse.

Então, é de Deus ou não: creio que analisar algumas coisas em nós mesmos e no outro é necessário para começarmos a visualizar essa resposta. Por exemplo: sabermos se temos o mesmo foco (santidade, viver pra Deus, buscar a Deus, ..., deixar o Reino em primeiro lugar.), sonhos parecidos (ser mãe, grande empreendimentos, graduações, etc...), modelos de santidades iguais ou similares (beber, fumar, se guardar, aonde ir e aonde não ir, linguajar, etc.), chamados parecidos e de mesma intensidade (para as nações, para a própria cidade, ..., missionário-levita-pastor “nômade” ou fixo.), estilos de vida parecidos (caseiro, festeiro, reservado,...). Não irei colocar comida, cor e música similares porque creio que isso não é uma interferência tão grande, quanto essas outras questões.

Antes de qualquer hipótese de relacionamento esses pontos tem que estar bem nítidos e sólidos dentro de você, pois é comum “a menina ir para o mundo do menino”, mas o inverso também ocorre. E com isso muitos chamados, dons e sonhos serem enterrados e frustrados. Então o “deixar pai e mãe por causa de mim” se torna em vão.

Se estas questões, acima pontuadas, já estão claras em e para você, verificar se o outro tem algo semelhante é necessário, fundamental. Não, essa não é uma receita de bolo que garantirá um relacionamento duradouro e de sucesso, esse é um convite a uma reflexão: a sua escolha é de Deus ou não? Você deixou pai e mãe, mas deixou o desespero e o medo da solidão te guiarem nesta decisão? Por pressão social, desespero e medo você trocou ou vai trocar o que Deus te deu?

Estas são as questões deste post, não tenha medo de refletir e descobrir que tomou uma decisão errada ou certa. Não tenha medo de olhar para dentro e reafirmar o que Deus já tem te dito e posto em você: chamado, sonhos, dons, ministérios, objetivos, focos, ..., sentimentos. Tenha medo de tomar uma decisão errada, por motivos errados e isso te causar o futuro que Deus lhe prometeu. Abra os olhos, tire os preconceitos e analise, investigue em você e no outro essas “pequenas” coisas.

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações. (Jr 17:9-10)

Claiane Lamperth

Comente pelo Facebook ()
Ou Comente Aqui (0)

Seja o Primeiro a Comentar!

Caso precise de resposta em sigilo, favor utilizar a nossa página de contato :)